Google diz que não há o que temer em relação à inteligência artificial

O tema "inteligência artificial" é frequentemente discutido por dois grupos opostos: o que acha que a tecnologia trará o fim da humanidade se não for regulada, do qual faz parte o bilionário Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX; e o que acredita nos benefícios dessa tecnologia, do qual faz parte Mark Zuckerberg, o CEO e fundador do Facebook.

Nesta semana, mais um nome entrou para o time de Zuckerberg: John Giannandrea, líder da área de pesquisa e desenvolvimento em IA do Google. O executivo falou sobre o tema num painel do TechCrunch Disrupt, evento voltado ao mercado de tecnologia em São Francisco, nos EUA.

"Há uma grande expectativa injustificada em torno de inteligência artificial neste momento", disse Giannandrea, de acordo com informações da agência de notícias Bloomberg. "Isso leva as pessoas a dizerem que 'alguém vai produzir uma inteligência sobre-humana e depois teremos todas essas questões éticas'. Isso é injustificado e até irresponsável."

Giannandrea também disse que o Google se preocupa com diversas questões éticas em torno do tema e que toma todas as precauções necessárias para evitar que essa tecnologia se desenvolva do jeito errado. Porém, o executivo também comparou os computadores mais avançados de hoje em dia a "uma criança de quatro anos".

"Definitivamente, não estou preocupado com o 'apocalipse da IA'", acrescentou Giannandrea. "Eu apenas me oponho à expectativa e às preocupações que algumas pessoas têm levantado."