Cada estilo conta uma história. Conheça a moda sob um novo olhar com o Google.

Google revela os primeiros recursos do novo Android P


Primeiro preview para desenvolvedores do sistema traz suporte para as polêmicas "notches", melhorias em mapeamento interno e outras novidades.

O primeiro preview para desenvolvedores do Android P chegou, e com ele o Google está pronto para mostrar a próxima fase da sua visão mobile. E as faixas superiores nas telas (também chamadas de “entalhos” ou de “notches”, em inglês) dominam as atenções em um primeiro momento.

Como já era esperado, o Android P terá suporte para “recortes” nas telas para apps Android, permitindo que os desenvolvedores “aproveitem ao máximo as telas mais recentes com conteúdo fullscreen”. E não é apenas a barra de status e a tela inicial que receberão esse suporte. O Google vai expandir o suporte para telas com notches em todas as áreas do Android P, incluindo APIs – para que os desenvolvedores possam ser criativos com os seus aplicativos.

Segundo o Google, “o suporte para recortes funciona de maneira simples e direta para apps, com o sistema gerenciando a altura da barra de status para separar o seu conteúdo do recorte. Se você possui conteúdo crítico e imersivo, também é possível usar as novas APIs para verificar o formato do recorte e solicitar um layout de tela inteira ao redor dele”.

  • O impacto sobre você

Prepare-se para as notches. Apesar de o primeiro aparelho com a notch tecnicamente ter sido o Essential Phone (imagem abaixo), a Apple tornou o visual popular com o iPhone X. Após os anúncios no MWC 2018, em Barcelona, no entanto, vimos que essa será uma tendência para esse e os próximos anos. E com o Android P, o Google quer garantir que seus usuários terão a melhor experiência possível.

Com o suporte incorporado profundamente no sistema, as fabricantes de aparelhos e desenvolvedores de apps, na verdade, usarão a tela inteira do aparelho, criando conteúdos que se encaixam corretamente e usando a notch para adicionar controles criativos e dados.

iPhone X (esq) e Zenfone 5, da Asus, também trazem as tão faladas "notches"

 

  • Avançando as imagens

Juntamente com o suporte para as notches, o Google também está deixando o Android pronto para a próxima geração de fotos e vídeos. A versão P da plataforma traz suporte para HDR VP9 Profile 2, de forma que os desenvolvedores poderão entregar vídeos com HDR habilitado a partir do YouTube, Google Play e outras fontes em aparelhos com suporte para HDR.

Vários aparelhos Android premium já são capazes de receber conteúdos HDR10 e Dolby Vision, incluindo o Samsung Galaxy S9, o LG V30 e o Google Pixel 2, e o Android P apenas irá acelerar a disponibilidade desses conteúdos.

O Google também está adicionando codificação de formato de imagem High Efficiency Image Format (HEIF) ao Android P. Os desenvolvedores poderão aproveitar os benefícios de compressão e armazenamento do HEIF ao oferecer o formato popular como uma opção nos seus apps.

Além disso, o Android P vai abraçar os sistemas com duas câmeras, permitindo que apps de câmeras de terceiros “acessem streams simultaneamente a partir de duas ou mais câmeras físicas em aparelhos rodando o Android P”. Isso significa que os desenvolvedores poderão fazer mais com a segunda lente nos aparelhos com câmeras duplas, permitindo que sejam criativos com retratos, imagens em P&P, de ângulo aberto e qualquer coisa que uma câmera secundária possa ajudar.

  • Notificações, mapas e mais

Não seria uma nova versão do Android sem mudança no sistema de notificações, e o Google “colocou uma prioridade em melhorar a visibilidade e a função das notificações” do Android P. Os alertas de mensagens deverão funcionar de forma mais dinâmica, destacando quem está enviando a mensagem e como respondê-la, assim como exibindo conversas inteiras, e permitindo que você adicione fotos e adesivos, tudo isso sem abrir o app.

O Android P também trará suporte para o protocolo de Wi-Fi IEEE 802.11mc (ou WiFi Round-Trip-Time) para que os apps possam trazer serviços de localização para locais fechados em que o GPS possa não funcionar muito bem. Com o Android P, os apps conseguirão calcular a posição do aparelho com uma precisão de 1 a 2 metros, segundo o Google. Esse tipo de precisão para posicionamento interno ajudará os apps com mapeamento e informações baseadas em localização.

Outras mudanças do Android P incluem a disponibilidade expandida da rede neural do Google, melhorias no recurso Autofill, e suporte para a API Open Mobile para proteger pagamentos com cartões inteligentes.

O Developer Preview está disponível apenas para download manual e via flash, com a versão over-the-air do Android Beta chegando apenas mais perto do lançamento da versão final do sistema. Como sempre, o Google destaca que essa é “uma versão inicial apenas para desenvolvedores” e que irá adicionar mais recursos e funcionalidades com o passar do tempo. Espere por novidades mais concretas em maio durante a conferência Google I/O.

 

Fonte:IdgNow